22 novembro 2007

A febre

Ou é de mim, ou toda a gente decidiu dar o nó. Nos meus diversos grupos de amigos restam cada vez menos solteiros convictos ou pelo menos não apressados :) Não sei se é a passagem ou a proximidade das 3 décadas de vida, se é o passo lógico (tirar o curso, arranjar um emprego, comprar casa e carro, casar e ter filhos), se é uma evolução natural das coisas que me passou ao lado sem que eu desse conta. A verdade é que continuo sem grandes pressas. Se por um lado não me importaria nada de partilhar a casa da Borbie com alguém, por outro também não nego o enormíssimo prazer de lá viver sozinha, com os meus horários, as minhas manias, os meus periquitos e a minha planta.
Longe vão os dias em que a pergunta «então quando é que casas?» me deixava de tão mau-feitio que me apetecia responder «nunca!»; agora já nem me incomodo em fazer um sorriso amarelo e desviar o assunto: a pergunta é arrumada com a maior cara de gozo e um enigmático «ui! isso agora...!» :)

1 comentário:

Jay disse...

casa da Borbie???

Concordo e assino embaixo, com bens sabe.