14 agosto 2006

Transamerica

Nada como programinhas pouco planeados para animar a malta :)

Sábado fui ver um filme muito bom, com um amigo: Transamerica, de Duncan Tucker, com Felicity Huffman no papel de um transexual às voltas com as surpresas da vida. Bree Osbourne descobre, uma semana antes da sua última operação de mudança de sexo, que é pai de Toby (Kevin Zegers), um adolescente problemático, preso em Nova Iorque. Bree é obrigada a enfrentar esta parte da sua vida antes da operação, atravessando verdades, meias-verdades, universos diferentes, afectos, desafectos, preconceitos e os EUA, de carro com Toby.
Transamerica recordou-me que a maioria das pessoas, mesmo quando são muito modernas, liberais, sem preconceitos ou lá o que se quiserem chamar, adoram embalagens perfeitinhas... de preferência, que correspondam integralmente aos seus próprios desejos e necessidades. julga-se muito e depressa demais, rotula-se sem conhecimento de causa, rejeita-se a diferença, permite-se que os afectos sejam cilindrados por preconceitos. triste mundo o nosso...!

2 comentários:

jac disse...

Um amigo imaginário, diga-se de passagem :-)

Sim, porque tu só pagaste um bilhete, certo? O:-)

Borboleta disse...

eu não paguei bilhete nenhum! maravilhas do king kard :)