03 agosto 2006

Agenda

Toda a gente tem uma agenda - não estou a falar do livrito que anda pelo bolso ou pela mala, com números de telefone e notas sobre compromissos. Todos temos propósitos mais ou menos definidos, metas, projectos, desejos a realizar. No geral, a agenda de cada um prevalece em qualquer circunstância. É cada vez mais complicado ceder, mesmo (ou, sobretudo) nas coisas pequenas - no restaurante onde se janta, no filme que se quer ver, no bar onde se bebe um copo, no sítio para onde se sai à noite. No resto, então.... Queremos ser agradados, mais do que agradar; queremos que tudo corra de acordo com o que esperamos. Raras são as pessoas que têm o dom de contornar a sua agenda ou de modificá-la, para incluir as metas de outras pessoas... mesmo quando se envolvem numa relação dita séria e comprometida; raras são as pessoas que abandonam a sua agenda em troca de uma agenda conjunta e nem toda a gente percebe que o segredo do sucesso é o meio-termo.
Concluí isto há dias, ao deparar-me com uma série de situações onde percebi que a minha agenda estava a ser literalmente ignorada, também por mim, em prol de outras agendas. Chocar de frente com alguém que não quer obliterar a nossa agenda tem um efeito giro :)

Já agora, e ainda a propósito de agenda! Alguém se lembra da música do anúncio d'A Minha Agenda?

(esta parte era cantada por um bando de miúdos desafinados)
P'ró Natal o meu presente,
Eu quero que seja
A Minha Agenda
A Minha Agenda
A Minha Agenda

( e dizia o adulto, em voz off)
A Minha Agenda!
A prenda de Natal para o ano inteiro!

(novamente os miúdos)
A Minha Agenda
A Minha Agenda

1 comentário:

pb disse...

Este post fez-me lembrar um poema que uma amiga em tempos me deu...

LETTING GO TAKES LOVE

To let go does not mean to stop caring,
it means I can't do it for someone else.
To let go is not to cut myself off,
it's the realization I can't control another.
To let go is not to enable,
but allow learning from natural consequences.
To let go is to admit powerlessness, which means
the outcome is not in my hands.
To let go is not to try to change or blame another,
it's to make the most of myself.
To let go is not to care for,
but to care about.
To let go is not to fix,
but to be supportive.
To let go is not to judge,
but to allow another to be a human being.
To let go is not to be in the middle arranging all the outcomes,
but to allow others to affect their destinies.
To let go is not to be protective,
it's to permit another to face reality.
To let go is not to deny,
but to accept.
To let go is not to nag, scold or argue,
but instead to search out my own shortcomings and correct them.
To let go is not to adjust everything to my desires,
but to take each day as it comes and cherish myself in it.
To let go is not to criticize or regulate anybody,
but to try to become what I dream I can be.
To let go is not to regret the past,
but to grow and live for the future.

To let go is to fear less and love more

Remember: The time to love is short