31 janeiro 2012

E nisto de casar...


Nisto de casar há muito que se lhe diga. Entre o que queremos fazer, aquilo que queremos gastar e aquilo que há disponível numa cidade mais pequena, a escolha ainda assim é muita. Lenta umas vezes, mais rápida e fácil noutras. Vai deste o entrar numa loja de vestidos de noiva "só para ver" e sair com um vestido comprado a passar semanas a escolher fotógrafos para o casamento, a procurar os sapatos certos ou a tentar decidir o que fazer em termos de entretenimento.
Como ainda por cima eu sou toda coca-bichinhos, dei em ter insónias, acordando a meio da noite e não voltando a dormir por várias horas a pensar parvoíces como "e se ninguém vem?" ou "e se a comida não chega?". Pior do que isso, só acordar depois de um pesadelo no qual uma das minhas irmãs tinha comido TODA a comida da festa!
Nem tudo é drama, ainda assim. Uma das coisas de que tenho gostado mais é da facilidade de fazer muita coisa online, seja procurar decorações, seja decidir qual o formato do bolo. Aqui na Irlanda é muito comum tratar de negócios por e-mail e correio, sem dificuldades. Fomos a uma feira de casamentos (tipo exponoivos) no início de Janeiro e a partir daí começámos a trocar mensagens com os fornecedores mais interessantes. Alguns foram mesmo contratados para o casamento, outros não, mas as negociações foram praticamente todas feitas só por e-mail, excepção feita para o bolo, que teve uma sessão de prova. Próximas provas: provar a ementa do jantar de casamento; provar o vestido de noiva com os sapatos e fazer os necessários ajustes!

1 comentário:

LadyBOO disse...

já li com muitos meses de atraso, mas qual das irmãs é que comeu a comidinha toda?